domingo, 9 de dezembro de 2007

O Labirinto do Fauno

Essa semana fiz algo que não fazia há algum tempo: aluguei um filme. Resolvi conhecer O Labirinto do Fauno, cujas imagens há meses me deixaram intrigada.
O filme se passa na década de 40, na Espanha pós-Guerra Civil. Tudo começa com a narrativa de uma princesa que fugiu de seu reino subterrânio para viver entre os humanos e as conseqüências desse ato. Depois dessa introdução, o filme mostra Ofelia (Ivana Baquero), uma menina de 10 anos que adora livros de fábulas. Ela se muda com sua mãe Carmen (Ariadne Gil) para uma área rural ao norte do país. Sua mãe está grávida e acaba de se casar com Vidal (Sergi Lopez) que é o capitão das forças fascistas do general Franco, que governa a Espanha em favor dos ricos e poderosos com a aprovação da Igreja Católica. Vidal é um homem violento, sádico e que não gosta de Ofelia. Perto da nova casa, Ofelia encontra um labirinto que tem uma escada que desce ao subterrâneo. Lá embaixo, ela conhece o Fauno (o mímico Doug Jones), que diz à Ofelia que ela é a princesa perdida do reino subterrâneo e a convence a realizar três tarefas para retornar ao seu reino. Enquanto Ofelia se emprenha nessa aventura repleta de fantasia, Vidal tortura e procura eliminar os rebeldes que ameaçam o governo.
O filme é muito bem feito, a história é boa, mas tem bastante violência e drama, sendo que guerra e sofrimento não são meus temas favoritos... Apesar disso, gostei do filme, pois achei criativo, as interpretações estavam ótimas, assim como também estavam excelentes as caracterizações do Fauno e do Homem Pálido.

Um comentário:

Gisele Regina disse...

Olá moça! Eu adoro filmes assim, que tenha um,a boa história para contar. Estou baixando ele. Filmes são sempre bons para saímos da realidade.