segunda-feira, 17 de março de 2008

Entrevista com Claude Monet

Numa época em que vemos o ter em detrimento do ser, a arte é uma forma de sensibilizar o indivíduo e por isso a escolhi como tema da minha entrevista. Sua forma de expressão passou por diversos períodos e possui muitas formas de uso atualmente. Procurando a opinião de um artista que admiro, resolvi fazer uma entrevista com Claude Monet.

Na história da arte, o seu período de atuação ficou conhecido como Impressionismo. O que você acha da Arte Contemporânea?
Muitas das produções da Arte Contemporânea perderam o que eu considero primordial numa expressão artística: transmitir a impressão do autor sobre um tema aos olhos de quem vê a obra. Um ponto preto no meio de uma tela em branco ou um monte de rabiscos no meio de um quadro não são produções que digam muita coisa para quem as vê…

Muitos artistas ainda hoje seguem os passos do Impressionismo. Você citaria alguém cujas obras lhe agradam?
O brasileiro Washington Maguetas, através de seus personagens que passeiam nos bosques ou à beira dos lagos, retrata as cenas trabalhando belamente os efeitos de luz e sombra, assim como suas naturezas mortas têm utilização ímpar da cor.

Carl Jung, em 1920, passou a utilizar o recurso da arte aplicado à psicopatologia, e passou a trabalhar o fazer artístico como forma de atividade criativa e integradora da personalidade. Jung disse: “A arte é a expressão mais pura que há para a demonstração do inconsciente de cada um. É a liberdade de expressão, é sensibilidade, criatividade, é vida.” O que você acha da arte terapia?
Vejo a arte terapia como um caminho, um meio pelo qual se amplia a consciência e se promove o auto-conhecimento. Acompanhado do arte terapeuta experiente, vejo que a arte terapia possibilita a expressão da conexão dos mundos internos e externo do indivíduo, fornecendo um meio para que a subjetividade do sujeito se manifeste e ele possa redimensionar suas dificuldades na vida.

E o que você acha da arte no espaço educativo?
O espaço educativo, na maioria das vezes, é o único local onde a grande maioria de crianças e jovens poderão ter acesso à arte. A escola promove o desenvolvimento de cidadãos e a arte deve fazer parte da formação do indivíduo como forma de educação da sensibilidade. Nesse aspecto, enalteço não só a importância das artes plásticas, mas também o universo artístico e suas linguagens: artes visuais, teatro, dança, música e literatura. Infelizmente, a arte no espaço escolar é vista como mera atividade de lazer e recreação, tendo um pequeno número de horas destinado ao seu ensino. O ensino da arte deveria ser defendido como uma “alfabetização” da sensibilidade, numa educação estética a partir das reflexões de João Francisco Duarte Jr. Concluindo a importância da arte no espaço educativo, citarei a famosa frase de Pitágoras: "Eduque as crianças para que não seja necessário punir os adultos".

Gostaria de deixar alguma mensagem aos leitores?
Embora aclamado como um grande pintor, jamais senti ter alcançado a perfeita realização de minhas idéias. Mas sinto que cada momento vivido em busca dessa perfeição foi maravilhoso. Gostaria que todos tivessem a oportunidade de investir na educação do sensível, pois ofereceria não só uma forma de realização pessoal, mas também uma nova maneira de ver o mundo, rompendo com o estilo de vida atual e construindo um lugar melhor.

Fontes de pesquisa:
http://www.estudantes.com.br/quadro/qua_res.asp?COD=3927&CUR=025&d=Artes+Pl%E1sticas
http://www.suapesquisa.com/artesplasticas/
http://www.brasilescola.com/artes/impressionismo.htm
http://www.pintoresfamosos.com.br/?pg=monet
http://www.maguetas.com.br/
http://www.sedes.org.br/arteterapia.htm
http://www.caracol.imaginario.com/paragrafo_aberto/rml_arteduca.html
http://www.centrorefeducacional.com.br/arterapi.htm

Algumas obras de Monet:


Washington Maguetas:


Esta postagem está participando da proposta da "Blogagem Inédita":

http://www.interney.net/?p=9761731

2 comentários:

disse...

Ah se todos pensassem como ele. Educação é primordial, mas ela não é levada a sério por essas bandas de cá. E como eu adoro os quadros do Monet. Transmite uma paz e sensibilidade a perder de vista.

Fernando Cury "o Pandão" disse...

Muito bacana!!!

Gostei do seu blog... e você escreve muito bem! Invista (se é o que quer...).