sábado, 12 de abril de 2008

Entrevista com Luis Fernando Veríssimo

Luis Fernando Veríssimo deu uma entrevista dia 13 de março no SESC Vila Mariana em São Paulo.
O programa foi ao ar hoje, às 19h e será repetido amanhã às 16h, na TV Câmara (UHF, cabo e parabólicas).
Desculpe pelo aviso em cima da hora, mas só fiquei sabendo hoje.

Foi em um momento de busca por algo de útil na televisão que esbarrei com a entrevista e, levando-se em consideração a timidez do escritor, recomendo que, quem puder, aproveite a rara oportunidade!


Da Editora Objetiva, que publica livros dele:


Resumo biográfico e bibliográfico:


Um dos sites mais antigos sobre Luis Fernando Veríssimo:


Outros sites sobre o autor:





Luis Fernando Veríssimo periodicamente em colunas de jornais:


O e-mail de LFV ninguém sabe. A melhor chance de contactá-lo é escrevendo para os editores de um dos jornais acima.

Um texto recente do Luis Fernando Veríssimo:
"Charlton Heston

Os recém-chegados têm direito a um drinque de cortesia e a um "tour" guiado pelas instalações do Inferno (as salas de tortura, as fornalhas, a sauna etc.) para se ambientarem no lugar e ficarem sabendo o que os espera na eternidade. Um dos atrativos do "tour" é o encontro com celebridades, grandes pecadores da História que passam correndo, perseguidos por diabretes que os espetam com seus tridentes, ou arrastados entre um martírio e outro.
Há dias, um grupo de recém-chegados passava pela Sala de Contrição Inútil, onde mortos recentes são postos para meditar sobre seus pecados e se arrependerem, não que isso vá fazer muita diferença, e teve uma surpresa:
- Charlton Heston!??
- É - disse o guia. - Em pessoa. Ou, no caso, em espírito.
- Mas ele...
- Pois é. Nós também nos surpreendemos. É verdade que houve a ligação dele com a tal associação nacional de rifles, responsável por alguns milhares de mortes nos Estados Unidos com o seu lóbi vitorioso contra o controle de armas. Mas, afinal, era a posição dele, e uma posição sincera.
- Seria pelo fato de ele ter sido um conservador?
- Não. Ao contrário do que diz a esquerda, os conservadores não vêm automaticamente para o Inferno.
- Seria um castigo pelas suas atuações no cinema?
- Também não. Ele não era tão ruim assim. Tinha um físico poderoso. Um queixo imponente. Certos papéis, ninguém conseguiria fazer como ele. Aliás, é por isso que ele está aqui.
- Ele veio para o Inferno porque só ele poderia fazer certos papéis?!
- É. Coisas da política - disse o guia, apontando para o alto. - Lá de cima.
Aparentemente, ao saber da morte de Charlton Heston, Deus se preocupara. Não havia razão para não trazê-lo para o Céu, talvez com uma breve passagem pelo Purgatório, por causa daquela questão das armas. Mas aí começariam as comparações. E não demorariam a concluir que físico mesmo para o papel de Deus quem tinha era...
- Desce! - ordenara Deus.
Tudo é vaidade."

fonte:




Um comentário:

Fernando Cury "o Pandão" disse...

Indicação das boas!!!

E desse eu sou fã de verdade ;-)